250 ANOS – Piracicaba que eu adoro tanto

Inspiração de muitos poetas e escritores, Piracicaba desperta paixão. Para explicar esse sentimento, cito uma frase já usada pelo jornalista apaixonado pela cidade, Cecílio Elias Neto lembrando Santo Agostinho: “Ninguém ama aquilo que não conhece”

por MARA FERRAZ
Textos: ALINE SALUOTTO / MICHELE F. VASSELO
Fotos: EDUARDO CAMPOS / ISA SILVANO

Nossa cidade pulsa… A paisagem modifica-se todos os dias. Somos acordados por uma cidade “em pé”, pronta para
acolher, abraçar, fascinar aqueles que se dispõem a observar o bem e o bom. Na gastronomia, Piracicaba faz coro na iguaria do milho, que enfeitiça os paladares, nos peixes servidos em toda extensão da Rua do Porto. Na arte, na literatura, na música, na ciência, no esporte, na teledramaturgia, a cidade exibe nomes de personalidades que o tempo não levou.

Terra que conta histórias de famílias que abriram as portas de casa para receber a sociedade dos anos dourados. Famílias que abriram as mesmas portas para sair pela manhã e trabalhar muito para o desenvolvimento da cidade. Piracicaba é uma jovem de 250 anos, que tem abraçado diariamente a vida de cada um de nós, proporcionado-nos belezas que por vezes esquecemos de olhar, trabalho e gerando crescimento em diversos setores
da economia. Sim, podemos nos orgulhar! Nosso hino? É conhecido em todo Brasil.

E como não seria? Conhecendo o amor, é impossível não saber o que significa a saudade.
E a gente sente saudades toda vez que se demora longe daqui.

Música: NEWTON DE A. MELLO

Piracicaba, que eu adoro tanto,
Cheia de flores, cheia de encanto
Ninguém compreende
A grande dor que sente
Um filho ausente a suspirar por ti.
Uma saudade que punge e mata
Que sorte ingrata, longe daqui
Entre suspiro, triste sem termo
Vivo no ermo, “des” que parti.
Piracicaba, que eu adoro tanto,
Cheia de flores, cheia de encanto
Ninguém compreende
A grande dor que sente
Um filho ausente a suspirar por ti.

Só vejo estranho, meu berço amado
Ter a teu lado o que perdi
Pouco se importam com teu encanto
Que eu amo tanto “des” que nasci.
Piracicaba, que eu adoro tanto,
Cheia de flores, cheia de encanto
Ninguém compreende
A grande dor que sente
Um filho ausente a suspirar por ti.
Em outras plagas, que vale a sorte,
Prefiro a morte, junto de ti
Adoro os prados, os horizontes,
A serra e os montes onde nasci.
Piracicaba, que eu adoro tanto,
Cheia de flores, cheia de encanto
Ninguém compreende
A grande dor que sente
Um filho ausente a suspirar por ti.

A TRIFATTO PARABENIZA PIRACICABA!

Sem comentários ainda

Não é permitido comentar nesta postagem

Free WordPress Themes, Free Android Games